Novembro Azul

Novembro Azul
Cristiane Gobo Cristiane Gobo
25/11/2015 14:58:34 hs

O movimento conhecido como Novembro Azul teve início na Austrália, em 2003, por conta do Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata (17 de novembro) e do Dia Internacional do Homem (19 de novembro). Muitas entidades passaram a abraçar essa causa para chamar a atenção dos homens sobre a importância da prevenção e da detecção precoce desse tipo de câncer.

 

Como no Outubro Rosa (dedicado à conscientização sobre o câncer de mama), os monumentos e prédios mais famosos do mundo inteiro mudam sua iluminação para a cor azul durante o mês de novembro.  Em muitos países, reuniões e eventos acontecem para se falar sobre saúde masculina, incluindo não só o câncer de próstata, mas também o câncer de testículo, depressão, diabetes, alcoolismo, tabagismo, outras doenças que tolhem precocemente a vida de muitos homens.

 

Também no Brasil, símbolos importantes do país, como o Cristo Redentor, a Igreja da Penha e o Maracanã, são iluminados de azul. A atenção, que em outubro era dedicada aos cuidados com a mulher, está agora voltada à conscientização dos homens sobre o câncer de próstata, um dos tipos mais frequentes no sexo masculino. Haja vista que só em nosso país ocorrem 69 mil novos casos a cada ano, sendo que cerca de 14 mil brasileiros morrem anualmente por causa da doença.

 

O grande desafio é romper a resistência dos homens em fazer o exame preventivo, que ainda hoje é um tabu. A detecção precoce é essencial para a cura do câncer de próstata. É feita por meio do exame de toque retal combinado ao exame de sangue PSA.

 

A próstata é uma glândula situada abaixo da bexiga. Através dela passa o início da uretra. Ela produz um fluido que nutre e protege os espermatozoides. O câncer de próstata, de modo geral, cresce lentamente. Mas em alguns casos cresce e se espalha com rapidez.  Inicialmente não dá sintomas. A dificuldade de urinar (fluxo lento ou fraco, gerando um esvaziamento incompleto da bexiga), aumento da frequência urinária, especialmente à noite, sangue na urina e dificuldade de começar a urinar podem ser os primeiros sinais. O ideal é o diagnóstico precoce, antes do surgimento dos sinais e sintomas.

 

Não há uma causa conhecida, por isso não há estratégias para evitá-lo. A idade, fatores raciais, tabagismo, obesidade, sedentarismo, maus hábitos alimentares e história familiar são os fatores de risco. Na fase inicial, pode ser curado completamente pela cirurgia ou pela braquiterapia de alta dose. À medida que avança, vai perdendo rapidamente as chances de cura.

 

Raramente ocorre antes dos 40 anos. A incidência cresce rapidamente a partir dos 50, por isso a recomendação de que, a partir dos 50, todo ano, o homem faça o exame preventivo. O diagnóstico precoce evita a doença avançada e o sofrimento que dela resulta.

Leia também

Inseminação intrauterina

Inseminação intrauterina
A inseminação intrauterina é a introdução de sêmen (previamente preparado no laboratório de reprodução humana) no interior do útero, com o objetivo de se obter gestação. Este processo somente aproxima o(s) óvulo(s) dos espermatozoides, no qual ambos...

Os tratamentos de reprodução humana e a epigenética

Os tratamentos de reprodução humana e a epigenética
As mulheres que precisam receber óvulos para engravidar têm uma grande preocupação: se o filho que será gerado por elas terá sua semelhança física e comportamental, uma vez que temem que, no futuro, possam duvidar ou desconfiar da origem dos óvulos. É claro que, de início,...

Transferência de embriões após a fertilização in vitro

Transferência de embriões após a fertilização in vitro
É o procedimento no qual os embriões que foram fertilizados in vitro, ou seja, dentro do Laboratório de Reprodução Humana, são transferidos ao útero da mãe.   Quando fertilizado de maneira natural, o embrião passa por um estágio chamado blastocisto. Assim, os estudos...

Endometriose x Fertilidade

Endometriose x Fertilidade
A endometriose é uma doença caracterizada pela presença de tecido semelhante ao endométrio, com glândulas e estroma, fora da cavidade uterina. Acomete principalmente órgãos pélvicos, como ovários, trompas, intestino, superfície externa e parede do útero, bexiga,...

O zika vírus e os tratamentos de reprodução assistida

O zika vírus e os tratamentos de reprodução assistida
Colaboração: Fernando R. Santos   A infecção pelo zika vírus tem causado uma grande preocupação entre todos, principalmente entre as mulheres grávidas e os casais que desejam engravidar. Com toda a razão, pois as notícias que se espalham no país ainda...

Reprodução humana

Reprodução humana
Colaboração: Dr. Fernando R. Santos   A escolha do profissional ou da clínica especializada em infertilidade deve ser criteriosa, haja vista que alguns detalhes têm influência direta no tratamento do casal. A paciente deve sentir-se à vontade. É normal que os casais tenham muitas...

Infertilidade. Quem pode ser infértil?

Infertilidade. Quem pode ser infértil?
 O que é infertilidade?   Um indivíduo, homem ou mulher, é considerado infértil quando apresenta alterações no sistema reprodutor que diminuem sua capacidade ou o impedem de ter filhos. A princípio, um casal é considerado infértil quando, após de 12 a 24 meses de...

O Ressurgimento da Tuberculose

O Ressurgimento da Tuberculose
Não é só o câncer que mata. A tuberculose também mata. Matou muito nos séculos passados. Grandes personagens da nossa história e da nossa cultura faleceram ainda jovens, vítimas da tuberculose.    Recentemente a medicina teve grandes avanços no tratamento desse...

Poliomelite

Poliomelite
Conhecida,  já, entre os Egípcios (1580 a.C.) e citada pelos gregos (Hipócrates),  e romanos (Galeno), foi  no final do século XIX, que  a poliomielite  produziu grandes epidemias na Europa e América. Doença grave, muito contagiosa, epidêmica,...